Polícia

Estudante diz que foi agredida por empresário dentro de hotel em Barra Grande

Jovem enviou vídeos e fotos ao Lupa1 mostrando o resultado das agressões; suspeito foi preso em flagrante.

Jovem agredida em Barra Grande - Foto: Reprodução

Jovem agredida em Barra Grande - Foto: Reprodução

10 de junho de 2024 às 12:07
6 min de leitura

Uma estudante identificada como Bruna Hemerly de Oliveira Freitas teria sido agredida dentro do Mikiki Lifestyle Hotel nesse final de semana, em Barra Grande, litoral do Piauí. Suspeito das agressões, o empresário identificado como Ernandio Carvalho foi preso.

Jovem agredida em Barra Grande - Foto: Reprodução

Segundo informações recebidas pelo Lupa1, Bruna conheceu Ernandio em uma balada em Teresina e eles começaram a se relacionar. Ernandio a convidou para ir à Barra Grande.

Chegando a Barra Grande, no hotel, após algumas horas, Ernandio encontrou um amigo que chegou lá com uma amiga de Bruna. Eles começaram a beber e, segundo Bruna, o empresário começou a mostrar sinais de agressividade.

Desconfortável, Bruna deixou os homens bebendo e foi para o quarto do hotel.

Como as agressões aconteceram

Em áudios e vídeos enviados com exclusividade ao Lupa1, Bruna deu detalhes de como as agressões teriam ocorrido.

“Quando ele foi me bater eu já tava, eu tinha tomado banho tava deitadinha embrulhada assistindo série no celular, tava quietinha porque ele já tava sendo muito grosso, eu desci pro quarto, não esperava que ele fosse me bater”, disse.

O homem chegou no quarto do hotel e teria começado a agredir a jovem. Segundo ela, o agressor havia usado maconha e ingerido bebida alcoólica. A mulher teria sido esganada pelo agressor até ela desmaiar.

“Ele já chegou no quarto e já chegou me batendo, ele chegou na brutalidade, mais ou menos umas duas horas da manhã, umas duas e quarenta foi quando ele parou de me bater porque eu tava apagada no chão. O hotel inteiro ouviu os gritos, me tacou em todo lugar, a gente faltou quebrar um vidro assim que tem um vidro enorme na porta que dá pra piscina, a gente faltou quebrar o vidro e todo mundo escutou foi o assunto do café da manhã”, disse.

Depois das supostas agressões, o homem dormiu como se nada tivesse acontecido. A jovem enviou fotos e vídeos feitos depois das agressões.

Empresário dormiu após as agressões

A jovem contou que passou o dia seguinte, de sábado (08), com medo de sofrer mais agressões. Bruna ainda foi à praia pela manhã com o homem.Hematomas após as agressões sofridas pela estudante

Bruna relatou que passou a tarde de sábado (08) na piscina do hotel, por medo de entrar no quarto e ser agredida novamente pelo homem.

Marcas das agressões

“E aí, fiquei com a minha amiga. Não fiquei perto dele depois disso. Passei a tarde inteira na piscina do hotel porque eu não conseguia entrar no quarto. Porque eu estava no quarto com ele. Não ia colocar em outro quarto. E ele tinha acesso ao quarto que minha amiga estava. Com o amigo dele. E eu fiquei na piscina. Por quê? Porque lá na piscina tinha o barman. E tinha o pessoal da recepção pelo menos para ficar me olhando. Para não acontecer de novo, né? Eu não tive coragem de entrar no quarto mais”, disse.

Jovem mostra as marcas das agressões sofridas pelo empresárioDono de hotel acionou a polícia

A jovem entrou em contato por meio das redes sociais com um dos proprietários do Mikiki Lifestyle Hotel, Rodrigo Uchoa. Após ser informado sobre o caso, o empresário acionou a Polícia Militar.

De imediato, uma guarnição se dirigiu ao local e efetuou a prisão do suspeito, que ainda estava nas dependências do hotel.

O empresário foi autuado e levado para a Central de Flagrantes de Parnaíba para realização dos procedimentos cabíveis.

Bruna, juntamente com sua amiga, foram levadas para prestar depoimento e registrar o Boletim de Ocorrência.

Boletim de Ocorrência registrado na delegacia de Parnaíba

Após os procedimentos, Bruna se hospedou em um hotel com a ajuda financeira de sua amiga e em seguida retornou para Teresina.

Vítima foi ameaçada por advogado durante a prisão do empresário

Bruna explicou que foi colocada em um quarto separado no momento da prisão do empresário.

“Eu tava trancada num quarto nessa hora, quando a polícia chegou e prendeu ele, e aí o amigo dele veio e me deu o celular, uma ligação de vídeo com esse advogado”, disse.

O suposto advogado, identificado como Everaldo Sampaio, teria ameaçado a jovem perguntando se ela não “queria ser a próxima Fernanda Lages”, fazendo alusão ao caso da estudante encontrada morta em 2011, em Teresina.

Segundo Bruna, o advogado disse ainda para ela mentir durante o depoimento e negar as agressões.

Durante a conversa, o advogado teria dito ainda para ela relatar que as marcas de agressões foram feitas por ela mesma, com suas unhas.

“Aí ele falou, ele falou logo de cara que ele foi o advogado de defesa do caso da Fernanda Lages, e perguntou se eu queria ser a próxima, aí ele falou que era pra eu chegar lá na delegacia, que ele ia estar lá, e era pra mentir tudo, pra eu falar que eu mesmo machuquei meu pescoço com minhas unhas, eu mesmo me azunhei, que eu mesma quebrei minhas unhas, pra eu inventar, pra eu livrar o agressor da cadeia, né, porque ele tava me ameaçando e falei tudo pra polícia. Feliz em falar a verdade”, disse Bruna.

Confira o vídeo com a fala do advogado


Siga nas redes sociais

Veja também

Dê sua opinião

Canal LupaTV

Veja todas